DIRETORA TÉCNICA MÉDICA:
DRA.MARIUTZKA ZADINELLO
CREMESC 9562 RQE 12418

A importância da drenagem linfática na gestação


As alterações fisiológicas específicas da gravidez ocorrem, principalmente, devido a fatores hormonais e mecânicos. Os ajustes que o organismo materno faz durante os 9 meses podem gerar alguns desconfortos para a futura mamãe. E é ai que entra uma técnica específica de massagem chamada Drenagem Linfática. Os movimentos – realizados por profissional habilitado e com experiência no tratamento de gestantes, são suaves, lentos e rítmicos e fazem com que o líquido em excesso no organismo possa ser reabsorvido pelos gânglios linfáticos (estruturas nodulares que se encontram em pontos estratégicos, tais como axilas e virilha e que fazem parte do sistema imunológico, ajudando a reconhecer e combater infecções e estruturas estranhas ao corpo, além de serem responsáveis pela remoção dos fluidos em excesso no organismo). Primeiro, os gânglios linfáticos são ativados manualmente. Em seguida, o líquido corporal é drenado para estes centros para que seja “filtrado” e as toxinas, que possam estar acumuladas nos vasos linfáticos, sejam eliminadas pelos rins.

 A drenagem linfática pode assim ser uma aliada da gestante no alívio de alguns incômodos que ocorrem durante a gravidez, tais como pernas cansadas e pés inchados.

 O redirecionamento dos líquidos corporais é benéfico também para a melhora do trânsito intestinal (melhorando assim os casos de constipação); prevenção e combate às varizes e cãimbras; alívio da enxaqueca e melhora do padrão de sono. Além disto, proporciona um momento de relaxamento (a drenagem linfática não causa dor!) fundamental para a gestante. De todos os benefícios, este em especial merece destaque: através das sessões semanais, as grávidas passam a se conhecer mais e a observar a resposta que uma drenagem bem feita pode gerar. Elas passam também a aceitar melhor a nova identidade corporal e a se beneficiar com o aumento do bem-estar geral, fortalecendo ainda mais o vínculo mãe-bebê. As sessões duram em média 30 a 40 minutos e ao término a gestante geralmente já sente um resultado positivo.

 É fundamental que a gestante pergunte ao seu Obstetra se há alguma contra-indicação para que ela faça drenagem linfática. Importante lembrar que as sessões devem ser iniciadas somente após o terceiro mês de gestação. A partir dai, podem ser feitas até 2 sessões por semana. Porém, em alguns casos, o médico pode indicar até 3 vezes semanais. Existem algumas contra-indicações para a realização das sessões, como hipertensão arterial não controlada; insuficiência renal; trombose; infecções de pele; lesões cutâneas, entre outras.

 A drenagem linfática também pode ser benéfica no pós-parto, uma vez que ajuda na redução do líquido retido durante a gestação e aumenta a estimulação do metabolismo basal. É importante salientar que a drenagem não deve ser utilizada como elemento para emagrecimento no pós-parto. O acompanhamento de um Nutricionista é fundamental para o retorno ao peso ideal.

 Durante os 9 meses de gestação, a alimentação, as atividades laborais e cotidianas interferem diretamente na saúde da futura mãe e de seu bebê em desenvolvimento. Por isto, a gestante deve ter cuidados que vão desde uma dieta específica para esta fase; atividade física leve (orientada por profissional de saúde); hidratação da pele (para a prevenção de estrias, principalmente) e a dessensibilização das mamas,  que vai ser muito importante para uma amamentação sem dor.

 Durante o Pré-Natal, é recomendável perguntar ao Obstetra sobre os benefícios da drenagem linfática e suas contra- indicações. Se a gestante obtiver a liberação de seu médico, vale a pena experimentar e usufruir de seus benefícios. Cuide bem de sua saúde durante a gravidez!

  Sônia Brizola – Massoterapia - Reg.DIFEP 1090