DIRETORA TÉCNICA MÉDICA:
DRA.MARIUTZKA ZADINELLO
CREMESC 9562 RQE 12418

Você sabe o que é Treinamento Funcional?


Você sabe o que é o Treinamento Funcional?

Yuri Cordeiro Szeremeta

Educador Físico – CREF 015735G

 

“É um método não convencional de treinamento físico que estimula grupamentos musculares e, de forma inteligente, aprimora as valências físicas (força, equilíbrio, agilidade, flexibilidade, etc) do praticante, sem o uso de máquinas de musculação”, explica Yuri Cordeiro Szeremeta, pós- graduando em Reabilitação de lesões musculoesqueléticas e Diretor do Núcleo de Pesquisa Científica da Associação Catarinense de Estudo da Dor (ACED).

O treino funcional é uma maneira diferenciada e bem atual de treinamento onde os exercícios escolhidos para treinar o corpo (e as habilidades corporais para as quais ele foi originalmente desenhado) aprimoram os movimentos que são realizados na vida diária. Para tanto, são adotadas 3 estratégias de treino:

∙ Aprimoramento do condicionamento e fortalecimento global;

∙ Aperfeiçoamento da consciência corporal;

∙ Treinamentos específicos.

A realização de movimentos com equipamentos funcionais (bola suíça, bosu, kettlebell, halteres, fitas de suspensão (TRX), dentre outros) garante um deslocamento corporal em vários planos (para frente, para trás, para os lados, para baixo e para cima), dando ênfase ao fortalecimento de porções musculares distintas, aprimorando assim o equilíbrio e a coordenação motora.

Durante as sessões de treino, o praticante busca realizar movimentos que não se limitam á um só plano corporal, assim, para cada repetição realizada são recrutados diferentes grupos de músculos e diferentes unidades motoras. Estes exercícios representam uma volta à utilização dos padrões fundamentais do movimento humano, como empurrar, puxar, agachar, girar, lançar, dentre outros.

Durante uma sessão de treino funcional, não são somente usadas cargas brutas e movimentos isolados como acontece quando se faz musculação. Para gerar sobrecarga, ou seja, para fazer com que os músculos “trabalhem” mais, são usadas, além dos halteres, fitas elásticas (com graus diversos de tensão) e o próprio peso corporal do praticante.

Quais os benefícios do treinamento funcional?

São diversos os benefícios. Para o ganho das três estratégias principais (citadas acima), são lançados ao praticante pequenos desafios que, de uma maneira programada e contínua promovem:

- Aumento do tônus, força, potência e resistência muscular;

- Equilíbrio e lateralidade de diferentes maneiras e superfícies, dando assim, capacidade habilidades distintas para o corpo se proteger de eventuais quedas.

- Ganho da propriocepção (capacidade de orientação espacial do corpo), importante aliada na prevenção de lesões músculo-articulares;

- Aumento da mobilidade e da flexibilidade;

- Aumento do condicionamento cardíaco e respiratório;

- Diminuição do percentual de gordura;

- Melhora da postura. As disfunções de origens biomecânicas são observadas pelo instrutor, e o fortalecimento e alongamento de musculaturas específicas tornam-se parte do treinamento.

 

Quem pode praticar o treinamento funcional?

Toda e qualquer pessoa pode praticar este tipo de treinamento! Diferentemente de muitas outras modalidades, aqui não há um público alvo para ser treinado. Cada indivíduo, seja ele um praticante leigo ou experiente em atividades físicas, tem suas peculiaridades, as quais devem ser respeitadas e aprimoradas durante cada sessão. Gestantes, idosos, crianças, reabilitandos de lesões músculo-articulares, cardíacos, pessoas com sobrepeso, diabéticos, atletas ou simples praticantes, todos são dotados, por menos que possa aparentar, de capacidades e habilidades físicas e psicomotoras que podem ser melhoradas durante as aulas.

O treinamento funcional é um dos programas de treino mais recomendados para gestantes por agregar e otimizar padrões de movimento que buscam funções naturais como sentar e levantar, puxar e empurrar, visando as tarefas diárias. O trabalho neuromuscular usado no treinamento funcional tem foco no fortalecimento do “centro de força” do nosso corpo (Core). Músculos profundos do cinturão-pélvico são fortalecidos, garantindo assim a prevenção de diversos distúrbios corporais, incluindo dores posturais e dificuldade de movimentação ou falta de agilidade. Aos poucos o corpo vai reaprendendo gestos simples que o cotidiano o estava impedindo de fazê-lo.

 

Está na hora de você conhecer algo diferente. Vamos treinar?!

Matéria publicada no Jornal Santa Mônica – julho de 2014.